Notícias

DSC2756O senador Lasier Martins (PDT/RS) defendeu na reunião de líderes das duas casas do Congresso que a reforma política se concentre, no primeiro momento, em três itens básicos da reorganização política do País, deixando para outras etapas temas polêmicos que possam embaraçar o andamento dessa reformulação.

O gaúcho propôs na reunião coordenada pelos presidentes das duas casas do Congresso, senador Renan Calheiros, do Senado, e deputado Rodrigo Maia, da Câmara, que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 36, limite sua abrangência aos temas ligados aos partidos políticos com representação parlamentar nos itens de fim das coligações em eleições proporcionais (deputados e vereadores), a criação de cláusula de barreira e à criação das federações de partidos políticos. “É muito saudável que tão logo se encerraram as eleições municipais, as duas casas do parlamento se debrucem nesse tema positivo de regenerar os processos e tornar a política outra vez respeitável em nosso País”.

A PEC 36 já foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça e entrará na pauta do Senado a partir de 9 de novembro, tão logo termine o segundo turno das eleições municipais nas grandes cidades. Depois de vencida esta etapa, vai para a Câmara dos Deputados para ratificação. Pela proposta defendida por Lasier e outros parlamentares de diversos partidos, serão criadas as federações de agremiações políticas para substituir o atual sistema de coligações.

As federações vão aglutinar agremiações ou grupos que se identifiquem programática ou ideologicamente entre si. Nos parlamentos, cada federação terá o reconhecimento como se fosse um só partido, sob uma única liderança, eliminando a pulverização de entidades com voz própria. Atualmente as duas casas legislativas reconhecem 35 partidos, cada qual com suas lideranças e autonomias política. Na federação haverá uma concentração de tendências.

Segundo Lasier, pelos cálculos do presidente da Câmara Rodrigo Maia, as legendas ficariam limitadas a oito no máximo, facilitando a governabilidade e dando maior unidade às negociações políticas nos plenários. Lasier defendeu na reunião de líderes que a primeira fase se limite a esses três pontos: “ Não é hora de discutir financiamento de campanha ou sistemas de governo, por exemplo, para citar alguns pontos muito relevantes da grande reforma que o povo brasileiro pede aos seus congressistas”, disse o senador. “Eu também vou apresentar propostas em outras partes da grande reforma. Na minha opinião foi saudável a proibição dos financiamentos de empresas, que proponho continuar com aperfeiçoamentos. Também vou sugerir o aumento do tempo de campanha, para facilitar a vida de candidatos a primeiros mandatos ou pessoas desconhecidas do grande público.

E também quero defender a mudança do sistema de governo para um presidencialismo moderado, que é minha preferência, o9u o parlamentarismo, qualquer dos dois melhores do que o engessamento do presidencialismo atualmente em vigor, e que já comprovou sua inadequação a nossa cultura política. ” “Estamos iniciando uma caminhada”, disse Lasier. “ Foi muito significativo que na reunião de líderes estivessem presentes, com o mesmo propósito, os presidentes do Senado e da Câmara. Isto foi um fato raro em nosso ambiente político e parlamentar. Acredito que vamos atender aos reclamos da população eleitora, que demonstrou sua insatisfação no pleito do dia 2 de outubro, comprovada pelos altos índices de abstenções, votos nulos e brancos, sem contar o repúdio a candidaturas tradicionais em muitas cidades do País. ”

O senador Lasier Martins está desenvolvendo uma intensa agenda de apoio aos candidatos do PDT em todo o Rio Grande do Sul, com atenção especial à disputa na da Capital gaúcha, que é considerada um reduto trabalhista. Em Porto Alegre, a deputada estadual do PDT, Juliana Brizola, concorre a vice-prefeita na chapa de Sebastião Melo (PMDB), que lidera a disputa com larga vantagem, segundo a última pesquisa Ibope. 

Na segunda-feira (26), o parlamentar participou de uma grande caminhada em favor da candidatura Melo/Juliana, que percorreu parte da Rua da Praia, no Centro, e encerrou com discursos na Esquina Democrática, ponto tradicional de atos políticos. "Melo é o candidato mais preparado e que mais conhece a cidade. Temos obrigação de trabalhar por esta vitória", conclamou o senador durante a sua fala à militância.

Ainda respaldado pela expressiva vitória que teve na última eleição majoritária no estado de Leonel Brizola, Lasier trabalha com o objetivo de fortalecer a legenda no grupo que reúne os grandes partidos gaúchos. Por isso, tem visitado as principais cidades e gravado vídeos de apoio a inúmeros candidatos pedetistas.

O senador já esteve praticamente em todas as regiões do Estado, oportunidades em que ressalta a doutrina trabalhista e destaca a importância do PDT neste momento de grave crise econômica e que muitas reformas estão sendo debatidas.

Lasier está confiante de que o PDT sairá fortalecido do pleito de 2 de outubro, ampliando o número de prefeitos no Rio Grande do Sul. 

Lasier critica falta de sinalização do Governo Federal em atender os pleitos do Rio Grande do Sul