IMG 3761O senador Lasier Martins e uma comitiva da Bancada Gaúcha esteve na terça-feira (13/09), por duas horas no Ministério dos Transportes em audiência com o ministro Maurício Quintella, o secretário-executivo, Fernando Fortes, e a cúpula do Departamento Nacional de Infraestrutura e de Transportes (Dnit). A reunião teve como objetivo pleitear o andamento das principais obras do Rio Grande do Sul, especialmente com relação a BR 116 e a liberação dos recursos garantidos para a segunda ponte do Guaíba. 

O ministro esclareceu aos parlamentares que: R$ 67 milhões já estão disponíveis para a retomada das obras da 2ª ponte do Guaíba, mais R$ 17 milhões serão disponibilizados em novembro. Para o próximo ano estão garantidos R$ 255 milhões. Quintella declarou que o governo aceitou como prioridade a conclusão da ponte até 2018.

Com relação a BR 116, ligando Guaíba a Pelotas, os restos a pagar para este ano são de R$ 68 milhões, com prioridade para a obra do viaduto Barra do Ribeiro, no lote Guaíba. Para 2017 a previsão é de R$ 51 milhões. O ministério confirmou o trecho Guaíba-Pelotas como a segunda principal prioridade do Estado.

Sobre a travessia de Santa Maria, o ministro anunciou que não tem como liberar mais que R$ 7 milhões até o fim do ano. A Bancada Gaúcha insistiu na necessidade de mais verbas, mostrou que esse valor é insuficiente, mas o ministro disse que não haver recursos. Segundo ele, estão ainda disponíveis R$ 40 milhões, até o fim do ano, para a conclusão da rodovia 386, entre Tabaí a Estrela.

Quintella explicou que este ano a pasta está gastando R$2,5 milhões para manutenções de rodovias e vai dispor para o próximo ano de R$ 2,4 bilhões, quando que para cumprir todas as carências de 2016 e 2017 precisaria de R$ 14 bilhões. Segundo ele, estão ainda disponíveis R$ 40 milhões, até o fim do ano, para a conclusão da rodovia 386, entre Tabaí a Estrela.

Sobre a discutida ponte sobre o Rio Uruguai, o ministro declarou que está tratando do assunto com o ministro de Relações Exteriores, José Serra, e levará o tema para tratar em Buenos Aires, no próximo mês, em visita do presidente Michel Temer ao presidente da Argentina, Mauricio Macri.